Leitor na Pista: Mizuno Up Hill Marathon, por Cezar Gomes

c17dfe38b785f98d34b4c082106d5e6a-1

Conheci o Cezar num treinão especial, o treinão de São Silvestre em 2015. Ele e os amigos Os Madrugadeiros organizaram um percurso de 15 km por Joinville no dia 31 de dezembro. Eu, que na época estava começando a treinar para minha primeira Meia Maratona – e nunca havia corrido 15 km – me aventurei nessa distância. A partir daí me tornei fã do Cezar, das suas proezas, força de vontade, determinação.

Quando vi que ele foi sorteado para participar da Mizuno Up Hill Marathon fiquei eufórica e acompanhei pelas redes sociais todos os treinos que ele fez. Até que finalmente chegou o dia, e ele conseguiu, é claro. E agora vem contar pra gente como venceu a Serra do Rio do Rastro:


EKG17UHM7032

Por Cezar Gomes

Acordamos cedo e nos preparamos para a batalha que ia se iniciar, cada guerreiro com sua armadura e suas armas, não era o momento de pensar nas dificuldades que estavam por vir e sim relembra tudo que você fez para chegar até ali.
Chegamos uma hora antes da largada, estava frio e o nervosismo já estava alto, mas tentamos relaxar pois não tinha mais jeito, fizemos um aquecimento de +- 1km bem de leve e aguardamos os tambores tocarem, um momento muito empolgante onde a adrenalina corre forte nas veias, no último toque o narrador começa a falar e dar incentivo aos participantes, os gritos de euforia tomam conta de todos e é dada a largada, começou, e os primeiros passos são leves o locutor coloca a maior pilha na galera! “ Passa gritando, passa extravasando, Você está na Mizuno Uphill 2017 realize o seu sonho, suba a Serra do rio do Rastro, curta a cada metro…..” ai o coração vai a mil e vamos nesta vibração por quase 1km quando começamos a entrar na prova.

O sol já veio cedo nos acompanhar e nos primeiros km as subidas já começam mas bem de leve, as paisagem são lindas e recompensadoras, no km 11 inicia uma decida, os tempos estão controlados em nenhum momento ultrapassamos o planejado por isto este inicio foi super de boa.

Passamos por dentro de Lauro Muller onde estava a largada dos 25km e tinham bastante pessoas nas ruas aplaudindo e desejando sucesso na subida da serra, foi muito legal.

Chegamos no ponto de corte passamos muito bem, com um crédito de 00:32:57 o que nos deixou muito confiantes, a primeira batalha tinha sido vencida, nesta passagem recebemos os incentivos das pessoas que estavam próximas o que sempre nos faz muito bem.

No km 28 o João nos encontrou e ficou conosco por um tempo, neste momento já estávamos administrando as subidas mais fortes e alternando caminhada e corrida, mas ainda tínhamos bastante energia, estava “Empolgante kkkk..” dizíamos rindo e lembrando do dia anterior, a temperatura já estava pegando e judiando o João já pedia um pouco de vento mas a serra não respondia e fomos em frente.

Com km 30 ainda dava para correr legal apesar da subida já ser constante então alternávamos com caminhadas curtas. As paisagens ficavam cada vez mais lindas e o sol e o calor só aumentavam, cada ponto de hidratação eram um alento para o corpo e a alma.

AAC17UHM2450

No km 32 passamos com 3h e 20 minutos chegando a altitude de 576m uma paisagem espetacular e uma placa de incentivo que dizia “Bora lá, Vocês treinaram para isso! A Serra já escolheu seus novos Ninjas” e entre caminhadas e corridas íamos em frente sabendo que tínhamos 10km e 846m para escalar.

MTM17UHM07801

Nos 34km já cansado, mas fazendo declaração de amor para a querida que está lá no topo esperando, este ainda não era avistado pois ainda não tínhamos chego onde começam as curvas mais desafiadoras e na nossa frente só víamos um paredão gigantesco de pedra.

No km 35 uma decisão difícil o Valério não estava se sentindo legal e as cãibras começaram a incomodar, ele falou para eu ir pois ainda estava me sentindo bem, com dor no coração mas sabendo que a serra é um desafio pessoal deixei meu amigo e parti.

No km 36 a paisagem da parte de baixo da serra fica toda a mostra e podíamos ter a noção do quanto já havíamos subido, por outro lado sabia que o bicho ia pegar pois as inclinações ficavam cada vez mais difíceis. E mais uma placa surgiu dizendo “Quando as pernas cansarem corra com o coração” e foi isto que eu fiz.

FSA17UHM1151

No km 38 veio para mim a prova de fogo, devido ao calor e a força exercida para subir a serra, devo ter exagerado no uso de água, isotônico, Coca-Cola e comecei a sentir náuseas um mal-estar terrível e olhando o relógio sabia que o tempo estava sobre controle, mas tinha que me recuperar. Parei e encostei na mureta para respirar, sai e subi mais um pouco mas o incomodo não passava “nunca pensei em desistir” mas a situação estava ruim então encostei novamente na mureta e o vomito veio em dois jatos de água, ufa.. melhorei e voltei a caminhar para cima e avante.!!!

EKG17UHM2877

Quando estava fazendo a curva para o km 39 ouvi alguém me chamando “Cezar seu surdo” kkkk… era o Valério, que alegria me deu pois estava preocupado com ele, ele já estava melhor e me alcançou “Guerreiro” os fotógrafos pediam para correr para foto mas naquele momento não rolava, o medo de travar as pernas era grande, o calor chegou ao pico e os postos de hidratação pareciam estar a 10km um do outro, senti as penas puxarem e me liguei que tinha que repor o que tinha perdido, sal e carboidratos.

Chegamos ao fim da serra e logo avistamos a placa de 1km, tínhamos 40 minutos para fazer este quilômetro e já não sentíamos vontade de correr as energias eram as mínimas e decidimos deixá-las para os 300m da chegada, viemos conversando e já comemorando, foi o desafio esportivo que mais exigiu fisicamente, mentalmente e espiritualmente, mas estava preparado.

Finalmente os 300m finais e começamos a correr a galera gritando e motivando e a energia estava a mil, parecia que o cansaço tinha ido embora e passamos pelo portal pulando e soltando um grito de euforia guardado no peito por 10 meses, nós conseguimos vencemos o desafio de subir a Serra do Rio do Rastro a baixo de 6h, somos Ninjas Runners!!!

c17dfe38b785f98d34b4c082106d5e6a-1
No portal estava escrito “Só os fortes passam aqui” é uma verdade!!! Nos abraçamos e nos felicitamos, pois, a batalha foi grande e a parceria maior ainda, corri para abraçar e beijar minha esposa e cumprimentar meus amigos que ficaram mais de 6h esperando este louco chegar!!!

Aqui pude relatar uma porcentagem do que vivi nestas 5h e 31 minutos, mas muito mais se passou e ficara na lembrança e no coração. Obrigado por ler e que possa te motivar.

1 Comment

  1. Fabio Mendes says: Responder

    Que show. Parabéns.
    Eu fiz a segunda e terceira edições, e fui sorteado para o duplo desafio em 2016 mas não tinha índice então passei a vez. Um dia provavelmente voltarei a fazer…

Deixe uma resposta

quinze + dois =