Corrida Junta e Vai celebra a inclusão social e a prática de esportes em Joinville

Corrida Junta e Vai

Incentivar a prática de atividades físicas e ainda promover a cidadania. Com este objetivo a Arteris, concessionária de rodovias, realizou na manhã deste domingo (23), a Corrida Junta e Vai, evento que reuniu famílias inteiras para correr e contribuir para a campanha Lacre Amigo, que visa a arrecadação de lacres de alumínio de latinhas de refrigerante, energéticos e cervejas para trocar por cadeiras de rodas, que são doadas para instituições sociais. Cerca de 800 atletas pintaram as Avenidas Hermann Lepper e Beira-rio de verde.

No evento desse domingo, inclusive, duas cadeiras de rodas, frutos da arrecadação de lacres, foram doadas à Apae e ao Instituto Priscila Zanette. “Muito importante que eventos e empresas como a Arteris tenham uma visão diferente das causas sociais. Por causa deles, a Apae está cada vez mais presente na sociedade”, ressalta Luiz Sidney Stiegel, diretor da Apae, que aproveita a oportunidade para convidar os joinvilenses para fazer uma visita à instituição.

Rosa Joesting, representante do Instituto Priscila Zanette, agradeceu a doação da cadeira de rodas. “Nossa entidade abraça cidadãos desvinculados da família e este (a cadeira) é um recurso que nós não temos. Essa corrida pode significar para nós uma semente de humanização”, considera.

Para André Bianchi, diretor superintendente da Arteris Litoral Sul, a Corrida Junta e Vai pretende deixar um legado de incentivo à reciclagem, de respeito ao meio ambiente, de educação, de inclusão e de responsabilidade social. “Essa foi a nossa primeira corrida e esperamos estar aqui por muitos e muitos anos”, diz ele, feliz por ter trazido 50 funcionários da concessionária para a corrida.

Inclusão com o Pernas Solidárias

Foi na Corrida Junta e Vai que André Bianchi teve a oportunidade de conduzir um dos 18 cadeirantes do projeto Pernas Solidárias. “É emocionante poder proporcionar o prazer da corrida para outras pessoas. Quando vemos as pessoas felizes, a felicidade volta em dobro para nós”, ressalta o diretor superintendente da Arteris.

Nascido em Joinville, Pernas Solidárias proporciona a inclusão social de cadeirantes nas corridas de rua. “É muito bom ver o reconhecimento conquistado pelo nosso projeto. Estamos crescendo, estendendo o Pernas Solidárias para mais cidades e isso nos enche de orgulho”, esclarece Cleiton Luiz Tamazzia, idealizador.

Corrida do renascimento

A jornalista Albertina Camilo, de 54 anos, estava com muito medo de passar vergonha, de “não dar conta” de correr/caminhar quatro quilômetros. O incentivo de uma amiga foi essencial para aceitar o desafio. Ela conseguiu terminar o trajeto na maior alegria e ainda “com fôlego”. E decidiu: foi a largada para uma mudança de vida em relação aos cuidados com o corpo e a saúde. O dia 23 de setembro de 2018 ficará guardado na memória. “Próximas corridas, me aguardem!”, avisa.

Albertina Camilo

Campeões gerais 4k e 8k

A Corrida Junta e Vai teve percursos de 4k e 8k, e largou às 7 horas. Com pouco menos de 15 minutos os três primeiros colocados dos 4k cruzaram a linha de chegada. Josué de Oliveira Rosa (00:14:12) ficou em primeiro lugar, Willian Marcos Vojniek em segundo (00:14:20), e Richard Eduardo da Silveira em terceiro (00:14:54). Nos 4k feminino, as três primeiras colocações ficaram com Aline Mirian (00:17:27), Rosilete dos Santos (00:18:25), e Juliana Antunes Matiola (00:18:34).

Nos 8k, o grande campeão foi Leandro Marcelino de Oliveira (00:26:01), seguido por Marcelo de Lima (00:27:59) e por Danilson Postal (00:28:11). No feminino, Amanda Dognini ficou em primeiro lugar (00:34:19), Rejane Marinho ficou em segundo (00:34:32) e Mariana Regina Arins em terceiro (00:34:52). Os outros resultados da corrida estão disponíveis no site da Chiprun.

Fotos: Aéreas: Gabriel Kuenzer – 041 Drone, Divulgação

Solo: Fabiano Piaseck – 041 Drone, Divulgação

Deixe uma resposta

17 − 9 =