10km: o retorno da Fernanda na prova Corro por Elas

10km: o retorno da Fernanda na prova Corro por Elas

Corro por Elas? Corro por mim? Corro por todo mundo! Sim, que delícia voltar aos 10 km – tá, tá, o Strava marcou 9,7, mas para quem em agosto estava no hospital sem saber se poderia correr – não tem preço!

Mas vamos começar do começo, né? Sábado pré-prova participei do treinão Opa em Opa, uma confraternização entre esse povo que ama correr – e aproveitar a vida – no calor de 17 horas.

Mas eu fiquei mais na água que no chopp. Fui mesmo para aproveitar as companhias sensacionais! Como poderia perder isso, né?

No domingo cedo já estava de pé, a espera da minha heroína e carona Amanda Dognini. Ela levava o pai, que iria caminhar. Olha que exemplo!

Amanda e eu na maior empolgação pré-prova!
Amanda e eu na maior empolgação pré-prova!

Chegando no Grêmio Whirpool encontrei vários amigos – o Ruy Careca de Correr, a professora Kátia, do grupo de corrida do Sesc, e nossa amiga chuva! Pensa no temporal…

Enfim, fizemos o aquecimento e fomos procurar abrigo enquanto as crianças corriam. Depois foi hora de encarar o desafio. Largada marcada pras 9 horas e eu estava bem feliz que a chuva corria.

Mas que engano o meu.

Os primeiros quilômetros foram com uma garoa de boa. Mas depois da metade da corrida ele apareceu – o sol. Como a corrida pelas dependências, com asfalto bem gostoso, aquele bafo gostoso começou a subir…

Foi muito bonito ver tantas famílias reunidas nessa prova, já que havia tantas opções de distâncias.

A parte ruim, além do bafo que subia do asfalto, foi ter que dar três voltas no percurso para quem havia escolhido o maior. No fim também deu diferença no anunciado – 10,7 e eu acabei fazendo 9,7. Mas tá valendo, né?

Não pisca que eu tô passando!
Não pisca que eu tô passando!

No fim ainda uma medalha super fofa, kit lanche super recheado e sorteio de vários brindes. Não ganhei nenhum, mas o melhor presente eu levava comigo, a felicidade imensa e sensação de vitória por ter voltado à correr… e esses presentes ninguém tira de mim!

Aliás, em 2018 essa prova eu vou chamar carinhosamente de “Corro por mim”. Será que posso?

Fernanda Lüttke

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *